Diário de viagem: Londres com a Melissa – Dia 2

Há um mês estava extremamente ansiosa para a minha primeira viagem internacional. A emoção de ganhar um concurso de uma marca que adoro e de realizar um sonho ao mesmo tempo era/ é indescritível. Londres é simplesmente incrível e toda vez que vejo as fotos da viagem, o coração bate mais forte e a vontade de voltar no tempo é enorme!
E é nesse clima de emoções e alegria que começo mais um diário de viagem. O segundo dia da viagem foi corrido, cansativo, mas acho que não poderia ter sido melhor.
No primeiro dia em Londres, fomos dormir super tarde e acordamos cedo (menos a Nathália, haha). O corpo ainda estava um pouco cansado das 12 horas de vôo, porém não foi problema. Durante toda a viagem optamos em usar o metrô, então não gastamos muito com transporte e as caminhadas nos fizeram conhecer muitos pontos turísticos bacanas.

O clima de Londres é um pouco maluco, mas confesso que gostei muito (frio é muito bom né?!). De manhã, saindo do hotel, o céu estava azul, limpo e saindo do metrô, pegamos chuva, depois parou, ventou, veio o sol, a garoa e depois que descemos da London Eye, o tempo fechou, ventou muito e choveu (eu não sabia se segurava o vestido ou o chapéu).
A fila para ir na London Eye estava razoável e o passeio demorou 30 minutos (equivalente a volta inteira), custou em torno de 20 libras e a cabine tem uma visão 360º da cidade. O valor não é tão barato, mas vale a pena ir pelo menos uma vez para conhecer, aliás eu não tinha/ tenho idéia de quando poderei voltar lá (espero que seja logo).
As fotos são uma miscelânea do Iphone/ instagram, da minha câmera, do Bruno Ogura e da Mônica Gomes. ♥
O vestido com estampa mega fofa é a Piorski e tem um detalhe super lindo nas costas, mas como estava super frio, não consegui fotografar, mas logo tem look de novo com ele! Para a correria, escolhi usar a Melissa Magda + Jason Wu da Clube Melissa Sorocaba. Desde a viagem, não tiro mais dos pés, haha. É super confortável e não sofri de dor depois de tanto andar com ela.
Após o passeio na London Eye, Big Ben e uma rua toda charmosa que esqueci o nome, fomos para Piccadilly circus comer algo, ir na Boots e se encontrar com a amiga linda Mônica.
Piccadilly é linda, movimentada e o pouco que ficamos por lá, me apaixonei. Estava parecendo uma guria do interior na cidade grande pela primeira vez, haha. A comida de lá é uma delícia, é rápido de para pedir e comer e o preço também muito bom.
Depois de um delicioso almoço de Pizza quadrada, partimos para a amada Oxford Street com um só lugar na lista: Primark.
Que lugar/ loja é essa gente? Fomos na maior loja que tem na Oxford e na entrada todo mundo estava junto, mas 5 minutos depois, cada uma foi para um lado pra conseguir encontrar os itens que estavam na lista de compras. Ficamos por quase 3 horas na loja e eu não consegui conferir nem a metade dela. Era muita gente, muitos turistas e aperta aperta. Consegui encontrar várias coisas (algumas faltaram e outras me arrependi de não trazer mais, haha). Tem vídeo das compras que fiz lá AQUI NO YOUTUBE.
Fomos embora por volta das 16 hrs e partimos com destino para o Hotel e o segundo round do dia,  Galeira Melissa London. Tem post contando como foi a inauguração AQUI.
Logo tem o post sobre último dia no paraíso, fiquem de olho! ♥

 

 

 

Vídeo: Compras em Londres

 

Hi people! A sexta-feira chegou com vídeo novo no canal do blog!
Agora temos uma câmera para gravar vídeos (aeeee), mas preciso aprender a usar direito, haha. Na viagem para Londres, além dos passeios e compras de roupas, cosméticos e comidinhas,  aproveitei para comprar uma GoPro Hero 3. Antes de ir, pesquisei preços e lojas, mas para minha alegria encontrei por 20 libras mais barato!
A viagem foi maravilhosa e espero que gostem do vídeo!
Ah, não se esqueçam de se inscreverem no canal! ♥

Diário de Viagem: Londres com a Melissa – Dia 1

Olá olá olá!!!
Na última terça-feira tive a certeza que o meu sonho estava se tornando real e que ninguém poderia tirar o meu sorriso imenso do rosto.
Para quem não sabe, eu (e mais 3 gurias) ganhei o concurso da Melissa “A um passo da Galeria Melissa London” e recebi a maior oportunidade da minha vida de conhecer Londres. A marca realizou o concurso para todas meninas e no último dia da inscrição, resolvi fazer o meu vídeo e tentar a sorte (e falei pra mim que essa seria a última vez que tentaria participar de algo). No dia 1 de Outubro recebi a ligação que mudaria muitas coisas e sim, eu era uma das vencedoras do concurso. Quase enfartei!
Comecei a organizar as coisas da viagem na mesmo semana (que passou voando) e no dia 07 (terça passada), embarcamos para Londres –  a ficha ainda não havia caído. Dividi essa emoção com meninas incríveis, animadas e fofas, a Diuli Scherer, a Nathalia Generoso (com blog nome do mesmo nome) e a Carla Sant’Anna do blog Burguesinhas. Para acompanhar essa viagem, tivemos o melhor e mais paciente guia do mundo, o Bruno, que nos fotografou em diversos momentos. Quase todas as fotos do diário serão deles, as outras serão minhas do celular (que me deixou na mão diversas vezes) e da minha amiga Mônica Gomes que nos encontrou por lá.

A viagem durou 12 horas (direto) e chegamos lá por volta das 15 hrs. Até passar na imigração e retirar as malas, saímos do aeroporto as 16 hrs e lá estavam dois taxis lindos e exclusivo da Melissa nos esperando (parecia um sonho).
Agora sim parecia que estava em Londres e que realmente era verdade.

O hotel era lindo e a vista da minha janela uma graça. Depois de 12 horas de vôo e 1 hora de transito até o hotel, tomamos um banho rápido e fomos pra rua. A Diuli já conhecia bem a cidade/ metrô e optamos em usar o metrô por ser mais rápido (compramos o Oyster – cartão do metrô). Achei as estações antigas, algumas velhas e com fios aparentes, mas ninguém te empurra. Se deu tempo de entrar no vagão, entrou, se não, espera o próximo!
E a primeira parada foi a Oxford Street e encontrar a Mônica. Chegamos lá por volta das 21 hrs e a única coisa que sentia era emoção.
Que lugar lindo gente! As lojas, as pessoas, os ônibus, o frio… tudo incrível!

Como já era um pouco tarde, entramos na Topshop para ficar por dentro de preços, depois numa lojinha de souvenirs (me arrependi de não ter pego itens de decoração lá) e fomos comer uma comida super saudável: McDonalds. Que aliás é uma delícia e barato!

O nosso primeiro dia se encerrou de maneira linda e incrível na London Eye. Noite mais do que agradável, com frio e pessoas amáveis. Estou morrendo de saudades de Londres e espero voltar em breve.
Logo teremos mais posts sobre a viagem que a Melissa nos proporcionou! Espero que tenham gostado do primeiro! ♥

Diário de Viagem: Curitiba – Feira Largo da Ordem e Madalosso Restaurante

 

E hoje é o último Diário de Viagem em Curitiba (já queremos voltar). No 4º dia da viagem (domingo), marcamos com as meninas do Tudo Orna e Tudo Make para uma rápido e adorável passeio na feirinha do Largo da Ordem. Chegamos antes das meninas e no primeiro momento, achamos que a feira era super pequena, mas ao caminhar com as meninas, o negócio era outro. Que feira enorme!!! Muitas barracas de artesanatos, itens vintage, roupas e comidinhas.
Já conversa com a Julia através das redes sociais, e no dia conheci a Débora (irmã da Ju) e a Ariadne do Tudo Make, que são super simpáticas, animadas e receptivas. O Lucas tirou algumas fotos, mas as da Ju ficaram tããão lindas que não pude deixar de colocar aqui:

As meninas são lindas por fora e por dentro ( impossível não gostar delas)! Ah, a Ari, disse que virá para Itu ainda esse ano! Esperamos novos encontros em breve! ♥

 

 

E após o passeio, fomos almoçar com um casal de amigos de Curitiba (a Bárbara também nos indicou ótimos lugares para ir) no famoso Madalosso.
O restaurante é ENORME, chegamos por volta de 13:30 hrs e haviam centenas de pessoas aguardando uma mesa, porém não demoramos muito para almoçar.  O lugar é lindo a comida é maravilhosa, o dia esfriou, passei frio, mas tudo está ótimo! O Madalosso fica no tradicional bairro Italiano, Santa Felicidade e possui cardápio imenso e delicioso. Logo que chegamos na mesa, recebemos asa de frango frito com alho, risoto, maionese, salada com vinagre de vinho, miúdos (não gosto, haha) e polenta frita (que polenta maravilhosa). Em seguida, os garçons passam oferecendo os pratos de diversas massas (salgado e doce).

Não comi nem a metade das massas e após o almoço, não saímos mais do hotel. Comi tanto, mas tanto que passei mal (gorda) e no dia seguinte fui embora dizendo que nunca mais comeria massa. Cheguei em Itu e já queria comer as delícias do Madalosso. Para conhecer mais sobre o restaurante é só clicar AQUI.
O restaurante foi o mais caro que nos alimentamos em Curitiba, gastamos em média, R$45 por pessoa (com vinho e 2 refrigerantes). É um lugar que vale muito a pena conhecer se for para Curitiba! As fotos são do celular do Lucas (que não gosto muito haha), pois o Iphone me deixou na mão e não conseguia tirar uma foto.
É isso! A viagem acabou, os post acabaram, mas a vontade de voltar é enorme. Até a nossa próxima viagem! ♥

 

Diário de Viagem: Curitiba – Passeio de Trem – dia 3

O nosso terceiro dia na linda Curitiba, foi boa parte dentro de um trem turístico a caminho da cidade de Morretes. Até chegar ao destino final, passamos por lugares lindos, históricos e marcantes.
Quando resolvemos ir para Curitiba, o passeio que havíamos certeza de conhecer/ aproveitar, era o de trem. O passeio é pouco caro (nós achamos um pouco salgado), porém lindo! Nós compramos a classe turística e aproveitamos a promoção de ida e volta + almoço no restaurante My House, saindo por R$162 cada (o valor pode ser parcelado em até 10x). A única coisa que não gostamos foi da falta de informação (ou não) dos atendentes do trem. Compramos as passagens um dia antes (na sexta) e a funcionária disse que se voltássemos de Van, ficaria R$20 mais caro. Então como turistas de primeira viagem, confiamos nela e compramos a volta por trem + almoço (que na verdade saiu R$30 mais caro). Para conferir detalhes do passeio e tarifas é só aqui AQUI.
O passeio saiu um pouco depois da hora marcada no bilhete (8 hrs) e até o destino final, levamos 4 hrs. Para voltar, o trem demorou em torno de 3:20 hrs e na volta, às 15 hrs, pouco enxergávamos por causa da intensa neblina.

O trem disponibiliza um lanchinho (quando me falaram isso, achei que fosse algum tipo de sanduíche… tipo de avião sabe?!), basicamente: um refrigerante ou uma água + uma caixinha com bolachas.

O almoço do pacote era o tradicional Barreado, que é uma carne cozida, arroz, banana e farinha de mandioca. Segundo o nosso colega Wikipédia: O segredo na preparação é o tempo de cozimento na panela de barro – cerca de vinte horas – o suficiente para desfiar toda a carne e mantê-lo no fogo sempre. Depois de cozida, as fibras da carne se soltam resultando em um caldo grosso e saboroso e temperado a gosto regional. Para manter o sabor da carne, é preciso vedar a panela com uma massa de farinha e água para manter o vapor dentro da panela (Caldeirão). Ah e não posso esquecer do camarão e do peixe, uma delícia!
A cidade também tem a famosa cachaça de banana e o delicioso sorvete também de banana.  Segundo a nossa guia turística, a cidade vive basicamente do turismo e com isso, quase tudo tem um valor elevado.
O restaurante My House é ótimo no geral: ótima localização, atendimento e claro, a comida.

Choveu em Morretes logo que chegamos no restaurante e demorou um pouco para parar, com isso, não conseguimos olhar a cidade com mais calma e muito menos fotografar, mas vale a pena o passeio se você está com um tempo livre! Após o passeio, chegamos no hotel, tomamos um banho e fomos para o Shopping Estação (20 minutos a pé do hotel). Não ficamos lá nem por 30 minutos, porque achei que havia perdido minha carteira, corremos para o hotel e lá estava a bonita. Depois de tanta correria e nervoso, resolvemos descansar, haha.
O próximo post, será o último da viagem e contaremos sobre a feirinha do Largo da Ordem e o almoço do Madalasso.

 

 

Beijos ♥ xoxo

Diário de Viagem: Curitiba – Dia 1 e 2

Aproveitamos as férias do Lucas e a minha pequena pausa de trabalho para conhecermos alguma outra cidade. E para a primeira viagem, escolhemos ir para Curitiba! As passagens estavam com preços maravilhosos (R$50 sem taxa de embarque) e saiam de Campinas, que é do lado de casa. E claro, que o tempo não colaborou muito! Pegamos chuva no primeiro e segundo dia da viagem, mas isso não nos fez ficar no hotel. Peguei a sombrinha e fomos conhecer o centro da cidade.
No primeiro dia não rolou muitas fotos, então esse post terá mais coisas sobre o segundo dia. O hotel que ficamos, é o Novo Vernon (reservamos pela Decolar.com), um hotel sem luxo, limpo, bonito, com sacada, ótimo atendimento e café da manhã, e é bem em frente a rodoferroviária da cidade. Quando chegamos no aeroporto, pegamos um ônibus executivo para a rodoferroviária (R$12 cada) e para voltar, fomos de circular mesmo (R$2,70 cada).
Como chegamos no hotel por volta das 14 hrs, a fome já havia batido na porta e fomos para o centro ( 25 minutos a pé do hotel) almoçar no São Francisco, restaurante que o Lucas havia pesquisado em blogs de baixa gastronomia, e que também é o restaurante em atividade mais antigo da cidade. Na hora que chegamos, só haviam 2 pessoas (o pessoal almoça muito cedo por lá) e pedimos um prato executivo – muito bem servido – por R$24 com bebida.

A noite, fomos conhecer O Barba Hamburgueria! Um local lindo, com pessoas e músicas agradáveis e um dos melhores hamburguer’s que já comi. O meu saiu por R$15,90 (não me lembro ao certo) e como não estava muito bem no dia, não consegui comer tudo. Uma guria no instagram, nos indicou o NY Café, mas acabamos não conhecendo (na próxima nós vamos). O Barba, era um pouco distante do hotel, então pegamos um ônibus (estou de cara até agora com o transporte da cidade, preço e ótima qualidade) e andamos por volta de 8 minutos até o local.

DIA 2

Acordamos cedo e pegamos o ônibus turismo para conhecer toda a cidade e os pontos turísticos. O ônibus custa R$29 (achei um pouco caro), porém você recebe 4 tickets para descer, olhar o local com calma e esperar o próximo ônibus. Apesar do valor, esse é um dos passeios que realmente valem a pena se você está na cidade pela primeira vez e não conhece NADA (assim como nós).
Como estava chovendo no dia, ficar na parte “descoberta” estava quase impossível, porque além da chuva, havia um vento gelado! Só depois das 14 hrs, a chuva deu uma trégua e conseguimos ficar na parte superior sem passar frio.

A nossa primeira parada foi no Museu Oscar Niemeyer/ Museu do Olho e depois descemos a pé no bosque do Papa (um local apaixonante). Mesmo com chuva, tentamos ver o Ópera de Arame, mas estava fechado para manutenção. 
Nossa segunda parada/ descida foi na Torre Panorâmica (R$3,50 cada) para conhecer o tão famoso local, que apesar do tempo nublado, conseguimos ver boa parte da cidade. Em seguida, usamos mais um ticket para descer no centro e almoçar.
E a nossa última parada foi no maravilhoso Jardim Botânico (que lugar lindo). No final do dia, a chuva parou e conseguimos aproveitar o passeio. O lugar é incrível, apaixonante e enorme! Andamos muito e acredito que ficou uma boa parte sem vermos.

Experimentamos no almoço, a parmegiana do restaurante Nonna Giovanna (rua São Francisco), que estava delicioso, porém é um pouco diferente do nosso. O prato acompanhava, arroz, batata frita, maionese, salada e feijão. Pedimos para tirar a maionese, salada e feijão e aumentar no arroz e nas fritas. O almoço para dois com bebida saiu por R$32.
E depois experimentamos o delicioso picolé (paletas) de fruta com recheio de leite condensado. Isso é simplesmente DIVINO!!! Por toda Curitiba você encontra algum lugar vendendo (cada um com um nome diferente), e é impossível não amar. Esse custou R$8 e compramos vários (fiquei pobre com o sorvete). A dica do sorvete foi da Karyne do blog Do Sofá que foi antes de nós e postou tudo no blog.

Mesmo com chuva (e poucos peças de roupa – só levei coisa estampada), os primeiros dias foram ótimos! O quarto que ficamos era ótimo e já estamos com saudades de viajar!
Em breve tem post falando do nosso passeio de trem, almoço do Madalosso e visita a feirinha do Largo da Ordem com as meninas do Tudo Orna ♥.
As fotos foram registradas pela câmera Canon 50D e Iphone 4.

 

Beijos ♥ xoxo

Viajando por… Lisboa

Olá pessoas!
A segunda chegou quente por aqui e também com uma novidade, a tag: viajando por…
Depois de um tempão, resolvi colocar a ideia do post no ar com a intenção de nos incentivar a conhecer novos lugares, países, culturas. Com dicas de rápidas, simples e objetivas,  e o melhor, tudo fornecido por quem já viajou.
Eu nunca saí do Brasil, mas como vocês sabem, não é por falta de vontade (cadê você $$?). E sempre procuro tirar duvidas e pegar algumas dicas com quem já foi e dessa vez, quero compartilhar com vocês também.
E a lynda Naty Dutra, uma brasileira que vive em Lisboa com o maridão, resolveu nos ajudar nesse primeiro post. Para quem ainda não conhece a Naty, ela é a dona o blog Fashion Black, um blog lindo e que já falei dele aqui no blog.
Confiram algumas dicas que a Naty nos deu:

  • Qual é a melhor época para conhecer Lisboa e qual período é mais barato?

 A melhor época com certeza é o verão! Lisboa tem céu azul, sol quente e praias maravilhosas, tem turistas o ano todo mas no verão são muitos, muitos mesmo! E pra quem gosta durante o verão tem festivais de rock com as melhores bandas.
Nem sempre é a época mais barata, mas se pesquisar bem você consegue promoções excelentes no site da TAP (empresa aérea portuguesa), onde eu mesma já achei. O período mais barato eu acredito que seja entre novembro e março porque é baixa temporada, mas também da pra aproveitar muito nessa época, principalmente quem gosta de frio. Lisboa na minha opinião é mágica o ano todo!

  • Quais os lugares temos que conhecer?

Os bairros típicos como Alfama, Bairro Alto, a Baixa, o Chiado… O castelo de São Jorge que tem uma vista maravilhosa de Lisboa, aliás a cidade toda é cheia de Miradouros com vista de encher os olhos e muito interessantes pra quem gosta de fotografar. A Vila de Sintra fica um pouco afastada mas tem que conhecer MESMO! Os palácios e castelos que tem por lá são ma-ra-vi-lho-sos e nos leva pra uma outra época, um outro mundo. Para mim os mais lindos são o palácio de Queluz, o Palácio da Pena, o Castelo dos Mouros e a Quinta da Regaleira. Ahhh e claro né tem que conhecer Belém, o bairro onde são fabricados os únicos pastéis de belém do mundo é lindo e tem lugar pra turista em todo canto, e lá fica a torre de Belém, o Mosteiro dos Jerônimos com uma arquitetura pra deixar qualquer um de boca aberta e foi de lá que saiu a caravela que descobriu o Brasil. E acho que Lisboa merece uma atenção especial para as praias, pelo menos eu amo praias, no lado sul da ponte 25 de Abril tem a Serra da Arrábida, que pra mim é onde fica algumas das praias mais lindas do país, vale a pena conhecer mesmo no inverno, a primeira vez que estive lá até chorei #aloca.

 

  • Restaurantes em Lisboa:

Dizem que o peixe da costa de Portugal é o melhor peixe do mundo, eu acredito porque no Brasil não curtia muito peixe, e aqui sempre que vou comer fora peço um prato com peixe. Claro que os mais próximos das praias são sempre os melhores pra comer peixe ou marisco. Também gosto muito das casas de Fado, em Alfama tem umas muito boas, você ouve fado, come comida típica portuguesa e bebe vinho claro.

  • Dica de lojas para aproveitar em Lisboa:

hihihihi TODAS! Se eu ganhasse a loteria ia comprar sem ver o preço de nada na Avenida da Liberdade, que é onde fica as grifes mais famosas do mundo todo como a Prada, Miu Miu, Louis Vuitton etc. Mas pra gastar com a minha vida real de classe média hahahaha eu recomendo a Rua Augusta e o Chiado que tem as lojas fast fashion mais famosas também como a H&M, Mango, a Zara que por sinal tem preços TRÊS vezes mais baixos que a Zara do Brasil, sério Zara do Brasil é um roubo e tem também muitas outras lojas que nós amamos. Aproveitem também pra comprar em Lisboa todos os produtos de cabelo, maquiagem, perfumes e cosméticos em geral que são caros no Brasil, porque aqui também é beeeeemmm mais em conta.

 

  • Naty, conte nos um pouco sobre a experiência pessoal de morar ai:

Eu me encantei pela cidade desde a primeira vez que vim pra cá conhecer, não só pelo meu marido viver aqui e ser português, mas foi uma coisa de me sentir bem com o lugar. Claro que eu sofri muito com a saudades, e ainda sofro apesar de ter “acostumado” e aqui também descobri que amo o verão, porque o inverno apesar de ser o melhorzinho da Europa, pra mim ainda é muito rígido e cansa passar frio quase 6 meses todos os dias, sério isso afeta no humor.
Amo o Brasil, que é cheio de qualidades, mas no quesito qualidade de vida não dá pra negar que alguém classe média vive muito melhor numa cidade da Europa do que em uma cidade grande do Brasil, e claro os ricos também hahahaha… E isso não é por acaso, aqui o abismo social é menor porque Europeu ta acostumado a usar transporte público sem preconceitos, a lavar sua própria roupa, limpar a casa, a não usar cartões de crédito e se usar só por extrema necessidade, abastecer o próprio carro. Eu pessoalmente amadureci muito nesse 1 ano vivendo em Lisboa, e mudei meu conceito em muitas coisas, aprendi a ser uma pessoa mais independente e entendi que viver bem está longe de ostentar alguma coisa.

E aí, curtiram as dicas da Naty? Toda vez que entro no blog dela, fico com uma vontade imensa de conhecer Lisboa e claro, conhecê-la pessoalmente. Todas as fotos desse post, são da Naty e é possível conferir outras dicas sobre esse lugar incrível AQUI.

Espero que tenham gostado do post!! Em breve teremos outras dicas e outros países.

 

 

 

 

Beijos ♥ xoxo

%d bloggers like this: